Declaração em suporte às recomendações da OMS subscritas pela CannaCasa

A CannaCasa subscreveu uma declaração redigida por vários grupos de advocacy da indústria de forma a suportar e dar apoio às recomendações realizadas pela OMS. A CannaCasa junta-se assim a mais de 100 subscritores de todo o mundo, de uma declaração que será entregue à Comissão de Narcóticos e Estupefacientes da Organização das Nações Unidas. 

No documento, explica que estas recomendações não promovem a “legalização”, no entanto, uma rejeição das recomendações da Organização Mundial de Saúde certamente prejudicará a adoção de um sistema multilateral.

“Os membros da Comissão de Estupefacientes necessitam entender que as recomendações equilibram a necessidade de combater o abuso com a necessidade de reduzir o sofrimento. Ambos os objetivos valiosos estão conectados, portanto, favorecer um em detrimento do outro não trará sucesso com nenhum deles. Seria tragicamente irónico se o fracasso do CND em implementar essas recomendações atrasasse os avanços no tratamento do abuso de drogas devido à dificuldade em estudar a canábis como está programado atualmente. Certamente, as reduções de opiáceos que os pacientes relataram ao usar medicamentos de canábis como um tratamento adjunto da dor exigem consideração séria.

No dia 2 de dezembro, a Comissão Europeia tomará uma decisão de relevância histórica e universal. Estas recomendações da Organização Mundial de Saúde representam a primeira chance em nossa vida de corrigir o nosso percurso. À medida que nos esforçamos para proteger os direitos humanos, garantir paz, segurança, saúde, prosperidade e reverter os danos que causamos ao nosso meio ambiente, devemos estar prontos para admitir nossos erros, bem como elogiar nossas realizações. A canábis foi inserida num sistema suportado na desinformação e na ausência de uma avaliação científica rigorosa e hoje com o conhecimento actual sobre a canábis, sabemos do vasto valor para a saúde e bem estar e o risco mínimo deste antigo medicamento.

Esta verdade obriga à subscrição.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.